Top 50 | Astros da música japonesa que todo fã de anime deveria (re)conhecer – Parte 2

Conforme prometido, aqui está a segunda parte do nosso Top 50 sobre astros da música japonesa que todo fã de anime deveria (re)conhecer, desta vez estrelando as bandas, grupos e duplas que deixaram a sua marca na indústria de alguma forma! Vamos a lista:

Para quem quiser, montamos uma playlist no Spotify com todos os artistas citados nesta postagem, que pode ser conferida clicando aqui!

banneramazarashi

amazarashi

Formada em janeiro de 2007, a banda a princípio se chamava STAR ISSUE. O nome durou pouco, no entanto — no mesmo mês, o grupo participou de um evento para bandas amadoras e emergiu como vencedor do concurso. A partir disso, adotaram o nome que usam até hoje: amazarashi. Atualmente, dois membros participam do ato: Hiromu Akita, que é vocalista, guitarrista e compositor, e Manami Toyokawa, tecladista e backing vocal. Adepta do rock alternativo e do indie folk, a banda se destaca pelas suas apresentações com uso de luzes e imagens projetadas. Ao combiná-las com o tom melancólico das músicas, os shows ganham uma ambientação especial.

Nos últimos anos, o grupo começou a produzir temas de anime, a começar pelo encerramento de Tokyo Ghoul √A, “Kisetsu wa Tsugitsugi Shindeiku”. Desde então, foi responsável pela abertura de Ranpo Kitan: Game of Laplace (“Speed to Masatsu”), o primeiro encerramento de Dororo (“Sayonara Gokko”), e a segunda abertura da segunda temporada de Boku no Hero Academia (“Sora ni Utaeba”).

bannerASIAN KUNG-FU GENERATION

ASIAN KUNG-FU GENERATION

O início da ASIAN KUNG-FU GENERATION foi em 1996, com músicas quase todas em inglês. Somente após assinarem contrato com a gravadora Ki/oon Records, em 2002, que começaram a lançar canções em japonês. Masafumi Gotoh (vocalista e guitarrista), Kensuke Kita (guitarrista), Takahiro Yamada (baixista) e Kiyoshi Ijichi (baterista) formam um dos grupos mais conhecidos do universo das anisons, especialmente entre os fãs de rock.

Apesar de esse não ser o foco da banda, seus temas para animes são muito famosos entre o público. “Haruka Kanata”, de Naruto, já até abriu o programa da Ana Maria Braga! Outros sucessos memoráveis são “Rewrite”, quarta abertura de Fullmetal Alchemist (2003), “After Dark”, sétima abertura de Bleach, e “Re: Re:”, abertura de Boku Dake ga Inai Machi.

bannerbless4

bless4

Formado em 2003 pelos irmãos AKINO, AIKI, AKASHI e KANASA, o bless4 é um grupo de vocalistas pop com origem no Arizona, Estados Unidos, e que hoje reside em Kanagawa, Japão. No mundo dos animes, eles são mais conhecidos pelas performances solo de AKINO e AIKI. Enquanto a irmã se destacou com as aberturas de Amagi Brilliant Park (“Extra Magic Hour”) e Shuumatsu no Izetta (“cross the line”), o irmão ganhou popularidade com o encerramento de Hoshiai no Sora, “Kago no Naka no Bokura wa”.

bannerBUMP OF CHICKEN

BUMP OF CHICKEN

A origem do BUMP OF CHICKEN é bem bonitinha: todos os membros são amigos de infância e estudaram juntos desde a pré-escola até o final do ensino médio. A primeira apresentação do grupo foi em 1994, num festival escolar, e os adolescentes decidiram levar a ideia adiante. Motoo Fujiwara (vocalista, guitarrista, letrista e compositor), Hiroaki Masukawa (guitarrista), Yoshifumi Naoi (baixista) e Hideo Masu (baterista) lançaram seu primeiro álbum em 1999, oficializando a banda e seu rock alternativo.

BUMP OF CHICKEN é o tipo de banda que não sabe como fazer música ruim, ainda que às vezes os seus temas possam parecer repetitivos. Dentre as contribuições mais famosas podemos citar a abertura e o encerramento de 3-gatsu no Lion (“Answer” e “Fighter” respectivamente), a abertura de Granblue Fantasy the Animation (“GO”), a abertura e o encerramento de Juushinki Pandora (“Sirius” e “Spica” respectivamente) e a abertura de Kekkai Sensen (“Hello, world!”).

bannerBURNOUT SYNDROMES

BURNOUT SYNDROMES

Apesar de sua formação em 2005, foi só em 2016 que a BURNOUT SYNDROMES teve sua estreia oficial por uma gravadora. No entanto, o trio de rock formado por Kazuumi Kumagai (vocalista e guitarrista), Taiyu Ishikawa (baixista) e Takuya Hirose (baterista) não ficou parado esse tempo todo. Ao longo de uma década, se apresentaram de maneira independente em casas de show e festivais de música, conquistando popularidade, mesmo que lentamente.

Como o SPYAIR, aqui temos “a outra banda de Haikyuu!!“. Envolvidos com a franquia desde 2016, eles foram responsáveis pelos seguintes temas de abertura: “FLY HIGH!!” (OP 2, S2); “Hikari Are” (OP, S3) e “PHOENIX” (OP 1, S4). Recentemente a BURNOUT SYNDROMES também fez sucesso em Dr. Stone com a abertura “Good Morning World!”.

bannercoldrain

coldrain

Há quase 15 anos na ativa, com seis álbuns de estúdio e três EPs lançados, a coldrain é uma das bandas de maior projeção internacional desta lista. Isso porque o vocalista, Masato, é filho de pai japonês e mãe americana, portanto fala o inglês fluentemente e todas as músicas da banda são nesta língua. Masato e seus companheiros Y.K.C (guitarrista), Sugi (guitarrista), RxYxO (baixista) e Katsuma (baterista) já passaram por três gravadoras diferentes e hoje pertencem à Warner Music Japan. Embora tenham se estabelecido como uma banda de post-hardcore, a coldrain tem experiência com vários subgêneros, incluindo metalcore, metal alternativo, rock alternativo e punk rock.

No mundo dos animes, eles se destacaram com as aberturas de Enen no Shouboutai (“MAYDAY feat. Ryo from CRYSTAL LAKE”), Ousama Game The Animation (“FEED THE FIRE”) e Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin (“We’re not alone”), assim como o encerramento de Hajime no Ippo: New Challenger (“8 AM”). Por ser fã da banda, eu sou suspeita a falar, mas sinceramente não consigo apontar um único disco deles que seja ruim, mesmo que tenha uns que são mais e outros que são menos preferidos por mim. De início, eu diria para conferir o álbum mais recente deles, THE SIDE EFFECTS (2019).

bannerEGOIST

EGOIST

Em 2011, o compositor ryo foi convidado para trabalhar na trilha sonora do anime Guilty Crown. A proposta veio de seu sucesso com o grupo supercell e a franquia Black Rock Shooter, baseada numa música do projeto. A fim de encontrar uma nova voz para o supercell, uma audição foi realizada com mais de dois mil participantes, e uma das campeãs foi a jovem Chelly, na época com 17 anos. A partir disso, foi estabelecido o EGOIST. A recepção da banda foi tão boa pelos fãs que suas contribuições não pararam por aí, e a banda foi além do anime para o qual foi criada. Dez anos depois, o grupo continua ativo com seu estilo pop, mesmo após Chelly anunciar que iniciaria uma carreira solo.

Além dos hinos “Euterpe”, “The Everlasting Guilty Crown” e “Departures ~Anata ni Okuru Ai no Uta~” presentes na já mencionada franquia, a EGOIST também deixou sua marca em várias outras obras. Alguns exemplos são: Fate/Apocrypha com “Eiyuu Unmei no Uta” (OP 1), Koutetsujou no Kabaneri com a abertura “KABANERI OF THE IRON FORTRESS” e três dos quatro encerramentos de Psycho-Pass, “Namae no nai Kaibutsu”, “All Alone With You” e “Fallen”.

bannerFLOW

FLOW

Formada em 1993 e com seu primeiro lançamento em 1998, a FLOW é verdadeiramente uma veterana das anisons. O grupo nasceu da parceria dos irmãos Kohshi e Take, atuais guitarristas (e vocal, no caso de Kohshi) da banda. Keigo (vocalista), Got’s (baixista) e Iwasaki (baterista) se uniram à dupla, ajudando a formar seu som animado e energético, baseado no pop, rock e punk.

O quinteto criou algumas das canções de animes mais lendárias das últimas décadas. É impossível falar de FLOW sem falar de Naruto: o grupo foi responsável por “GO!!!”, quarta abertura, “Re:member”, oitava abertura, e “Sign”, sexta abertura da série Shippuden. Outra música lembrada até por quem não conhece a banda é “COLORS”, primeira abertura de Code Geass (aquela do “JIBUN WO!”). Outros temas menos mencionados, mas ainda muito bons, são as aberturas de Tales of Zestiria the X (“Kaze no Uta”) e Durarara!!x2 Ketsu (“Steppin’ out”). Todos esses sucessos garantiram a vinda da banda ao Brasil diversas vezes, se apresentando em várias cidades, inclusive além do eixo Rio-São Paulo. Não duvido que voltarão novamente quando a pandemia for controlada.

bannerGalileo Galilei

Galileo Galilei

Liderada pelo vocalista Yuuki Ozaki, a Galileo Galilei foi uma banda de indie rock japonês que esteve ativa de 2007 a 2016. Embora nem todos tenham ficado até o último ano da banda, Ozaki contou com cinco companheiros ao longo de sua jornada: Hitoshi Sako (baixo e guitarra), Kazuki Ozaki (bateria, percussão, backing vocals), Sohei Funaya (guitarra), Fumito Iwai (guitarra, backing vocals) e Kazumasa Noguchi (teclado). Juntos, eles lançaram quatro álbuns de estúdio e contribuíram com temas de abertura e encerramento para animes como Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai. (OP), Haikyuu!! Second Season (ED1) e Ookiku Furikabutte: Natsu no Taikai-hen (OP).

Além de ter colaborado com artistas como Aimer e livetune, Ozaki também lançou um álbum solo em 2017. No ano seguinte, ele e alguns dos membros antigos da Galileo Galilei anunciaram que a banda voltaria, mas sob outro nome: Bird Bear Hare and Fish.

bannerGARNiDELiA

GARNiDELiA

GARNiDELiA é uma dupla de pop rock japonesa composta por Mai Mizuhashi (mais conhecida pelo nome artístico MARiA) e o produtor de Vocaloid Yoshinori Abe (mais conhecido pelo nome artístico toku). Embora tenham começado como uma dupla independente em 2010, eles passaram por diversas gravadoras nesta última década: Defstar Records (2014-2015), SME Records (2015-2017), Sacra Music (2017-2019) e Universal Music Japan (2020-atualmente). A dupla, que já lançou três álbuns de estúdio e dois mini-álbuns, gosta de experimentar não só com o pop rock, mas também com o eletrônico, o eurodance, o power pop e vários outros subgêneros.

No mundo dos animes, suas contribuições se estenderam a várias obras, como por exemplo: Animegataris (“Aikotoba”, OP), Beatless (“Error”, OP), Fate/Apocrypha (“Désir”, ED1), Kill la Kill (“ambiguous”, OP2) e Mahouka Koukou no Rettousei (“grilletto”, OP2).

bannerGRANRODEO

GRANRODEO

Estabelecida em 2005, GRANRODEO é uma banda de rock focada em anisons desde seu início. O vocalista Kishou Taniyama também é dublador, enquanto o guitarrista e compositor Masaaki Iizuka já trabalhou em trilhas sonoras de animes. A lista de obras para as quais o grupo colaborou é bastante extensa, mas podemos destacar alguns dos mais populares: foram responsáveis por todas as aberturas de Kuroko no Basket, com exceção da segunda abertura da terceira temporada (“Can Do”, “RIMFIRE”, “The Other Self”, “Hengen Jizai no Magical Star”, “Punky Funky Love” e “Memories”), assim como pelas aberturas da primeira e terceira temporadas de Bungou Stray Dogs (“Toxic Candy” e “Setsuna no Ai”), e os temas de Nanatsu no Taizai, feitos em colaboração com a banda FLOW (“Howling”, abertura da terceira temporada e “7 -seven-”, encerramento da primeira temporada). Por conta própria, também indico a abertura de Karneval (“Henai no Rondo”) e a da segunda temporada de Koisuru Tenshi Angelique (“Doukoku no Ame”).

bannerJAM Project

JAM Project

Fundada em 19 de julho de 2000 pelo cantor Ichirou Mizuki, a JAM Project é uma banda especializada em anisons que transita entre os gêneros do pop rock, hard rock e heavy metal. Quase vinte e um anos depois, embora Mizuki não seja mais membro da JAM, a banda segue firme e forte com o seu line-up atual, composto por Hironobu Kageyama, Masaaki Endoh, Hiroshi Kitadani, Masami Okui, Yoshiki Fukuyama e Ricardo Cruz.

Em meio às dezenas de contribuições do supergrupo, creio que possamos citar as aberturas da franquia Garo (“Yaiba ~the divine blade~”, “Guren no Tsuki ~Kakusareshi Yami Monogatari~”, “Gekka”, “Honoo no Kokuin: DIVINE FLAME”, “B.B.” e “EMG”) e de One Punch Man (“THE HERO!! ~Okoreru Kobushi ni Hi wo Tsukero~” e “Seijaku no Apostle”) como as mais famosas.

bannerKalafina

Kalafina

As intenções da compositora Yuki Kajiura ao montar a Kalafina, em 2007, era ter um grupo para cantar as músicas do anime Kara no Kyoukai. Assim como o EGOIST, no entanto, a banda durou bem mais do que a obra para a qual foi criada, fornecendo temas para vários outros animes. Das quatro vocalistas, duas — Wakana e Keiko — já eram parte do FictionJunction, outro grupo musical criado por Kajiura. Já as outras duas, Maya e Hikaru, foram escolhidas a partir de uma audição da Sony Music Japan.

Apesar de terem se separado oficialmente em 2019 com as saídas de Yuki Kajiura, Keiko Kubota e Hikaru Masai no ano anterior, o grupo Kalafina deixou a sua marca na indústria. Entre as diversas contribuições, destacam-se: “heavenly blue” (Aldnoah.Zero, OP), “believe” (Fate/stay night: Unlimited Blade Works, ED 2), “to the beginning” (Fate/Zero 2nd Season, OP), “Lacrimosa” (Kuroshitsuji, ED 2) e “Magia” (Mahou Shoujo Madoka★Magica, ED 2).

bannerKANA-BOON

KANA-BOON

Após sua formação em 2008, a grande chance do KANA-BOON veio em 2012, por meio de uma audição para encontrar o ato de abertura do ASIAN KUNG-FU GENERATION no show de 20 anos da gravadora Ki/oon Records. Maguro Taniguchi (vocalista e guitarrista), Hayato Koga (guitarrista) e Takahiro Koizumi (baterista) ganharam de outros quatro mil inscritos, conseguindo também um contrato para estreia no ano seguinte. Atualmente, o grupo se encontra em hiato, devido a problemas de saúde do vocalista. Desejamos melhoras rápidas para ele!

Tratando-se de anime, é obrigatório mencionar a icônica “Silhouette”, décima sexta abertura de Naruto Shippuden. A parceria com a franquia se estendeu para sua continuação: foram responsáveis pelo tema de Boruto: Naruto The Movie, “Diver” e a primeira abertura de Boruto: Naruto Next Generations, “Baton Road”. Recentemente, se destacaram pela segunda abertura da quarta temporada de Boku no Hero Academia, “Starmarker”. Duas recomendações minhas são “Massara”, abertura de Sarazanmai, e “Talking”, abertura de Subete ga F ni naru.

bannerMAN WITH A MISSION

MAN WITH A MISSION

MAN WITH A MISSION é o quinteto de “lobos” mais peculiar do mundo dos animes, sem dúvidas. E acredite se quiser, há uma justificativa para as fantasias! A história oficial é que os membros foram criados por Jimi Hendrix e ficaram congelados na Antártica por anos, ouvindo canções de todo o mundo. Após escaparem do congelamento, decidiram virar músicos no Japão. Logo, segundo essa narrativa, é graças a esse período de cativeiro (?) que temos seus temas de maior sucesso: as aberturas de Log Horizon (“database feat. TAKUMA (10 Feet)”), Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans (“Raise your flag”) e Vinland Saga (“Dark Crow”).

Em termos mais realistas, as cabeças por trás dos lobos se uniram em 2010, transitando entre estilos do rock e do metal em suas composições. Tokyo Tanaka (vocalista), Jean-Ken Johnny (guitarrista, vocalista e rapper), Kamikaze Boy (baixista, backing vocal), DJ Santa Monica (DJ) e Spear Rib (baterista) esbanjam criatividade, seja para inventar nomes artísticos, elaborar uma história para a banda, ou trabalhar naquilo que fazem de melhor: música!

bannerNICO Touches the Walls

NICO Touches the Walls

Ativo entre 2004 e 2019, o grupo de rock NICO Touches the Walls foi formado por quatro conhecidos da época de ensino médio: Tatsuya Mitsumura (vocalista e guitarrista), Daisuke Furumura (guitarrista), Shingo Sakakura (baixista) e Shotaro Tsushima (baterista). Não demorou muito para que o talento do quarteto fosse reconhecido: logo no primeiro ano da banda, venceram num festival de música da empresa Yamaha. Alguns anos depois, em 2007, fecharam contrato com a gravadora Ki/oon Records, da Sony Music, e fizeram sua estreia oficial.

Esse contrato possibilitou a participação da banda em diversos animes famosos. Aposto que se você está lendo esse post e já ouviu falar deles, foi por causa de Naruto Shippuden (“Broken Youth”, ED 6; “Diver”, OP 8; “Niwaka Ame ni mo Makezu”, OP 13), Fullmetal Alchemist: Brotherhood (“Hologram”, OP 2) ou Haikyuu!! (“Tenshi Gaeshi”, S1 ED1; “Meshi Meshi”, S3 ED). Convenhamos, é um baita currículo.

bannerNightmare

Nightmare

Nos seus primórdios, por volta do ano 2000, Nightmare era uma banda de covers, e seus membros ainda estavam no ensino médio. Inspirados por diversos grupos de visual kei, Yomi (vocalista), Sakito (guitarrista), Hitsugi (guitarrista), Ni~ya (baixista) e Ruka (baterista) adotaram o estilo, focando sua música em metal e vertentes mais “pesadas” do rock, como o progressivo e o gótico. Ao longo da carreira, no entanto, não hesitaram em explorar outros gêneros. Vale comentar que o grupo acabou de voltar de um hiato de quatro anos, então é uma ótima hora para começar a acompanhar o trabalho deles!

A Nightmare não costuma colaborar com canções para animes, mas algumas exceções ocorreram na segunda metade dos anos 2000. Se o grupo tem fama internacional hoje em dia, é em boa parte graças à Death Note, obra para qual compuseram os temas “the WORLD” e “Alumina”. Algumas outras canções conhecidas pelo público otaku são “Raison d’etre”, abertura de Claymore, e “Dirty”, abertura de Majin Tantei Nogami Neuro.

bannerNoisyCell

NoisyCell

NoisyCell é uma banda de rock formada em 2007 que transita entre os subgêneros post-hardcore e alternativo. Composta por Ryosuke nos vocais, Ryo na guitarra, Kiara no baixo e Tatsuya na bateria, a NoisyCell já lançou seis álbuns (três de estúdio e três mini-álbuns). No mundo dos animes, seus principais feitos foram o encerramento de Barakamon, “Innocence”, e o encerramento de Death Parade, “Last Theater”. Eu gosto muito da natureza experimental da banda e a voz do Ryosuke é realmente de se apaixonar. Creio que o álbum “Wolves”, lançado em 2018, seja um dos mais representativos da variação sonora deles.

bannerNothing's Carved in Stone

Nothing’s Carved in Stone

Todo final é um novo começo, como bem demonstrado pela criação da Nothing’s Carved in Stone. Em 2008, a banda Ellegarden anunciou que entraria em hiato. Seu guitarrista, Shinichi Ubukata, viu nisso a chance de experimentar e se aventurar em novos projetos. Após alguns meses de procura por músicos, recrutou Taku Muramatsu como vocalista e guitarrista, Takanori Ohkita como baterista e Hidekazu Hinata como baixista. Estava formada sua nova banda, cujos fundamentos musicais se apoiam no punk-rock e no rock alternativo. Lançaram seu primeiro disco em 2009, e continuam ativos até hoje, mesmo após o retorno do Ellegarden em 2018.

Apesar de não contribuírem com a indústria dos animes frequentemente, a Nothing’s Carved in Stone é uma das bandas de rock mais populares do Japão e foi responsável por pelo menos três hinos otaku: “Pride” (OP de Kingdom), “Out of Control” (OP 2 de Psycho-Pass) e “Spirit Inspiration” (OP 1 de Zetsuen no Tempest).

bannerOLDCODEX

OLDCODEX

Formada em 2009, o grupo OLDCODEX é fruto da colaboração entre o dublador Tatsuhisa Suzuki, o pintor YORKE. e o compositor R.O.N. (que foi mencionado na postagem anterior). O último saiu da banda em 2012, mas os outros dois seguiram com o projeto e desde então focam em produzir canções para animes, além de adotarem um som mais agressivo, puxado para o hard rock. Um diferencial da banda são as apresentações ao vivo, onde as músicas são acompanhadas de sessões de pintura.

Há duas séries que são facilmente associadas ao grupo: Kuroko no Basket e Free!. A banda contribuiu com temas para todas as temporadas de ambos os animes; no caso de KuroBasu, temos “Catal Rhythm” (S1, ED 2), “WALK” (S2, ED 1) e “Lantana” (S3, ED 3), além do tema dos filmes de compilação (“Scribble, and Beyond”). Já na franquia dos nadadores, ficaram encarregados de todas as aberturas (“Rage on”, “Dried up Youthful Fame” e “Heading to Over”), além do tema do filme High Speed! (“Aching Horns”). Entre as outras anisons deles, pessoalmente, destaco a abertura de SERVAMP (“Deal with”), a abertura de Q Transformers: Kaette Kita Nazo no Convoy (“physical”) e o segundo encerramento de Arata Kangatari (“Utsukushii Sebone”).

bannerOxT

OxT

Nascido em 05 de janeiro de 1980, Masayoshi Ōishi é um cantor, compositor e músico japonês que participou de diversos temas de anime, a começar pelo hino “Kimi ja Nakya Dame Mitai”, de Gekkan Shoujo Nozaki-kun. Outras colaborações de destaque, seja como cantor ou compositor, incluem as aberturas de Jibaku Shounen Hanako-kun e Kemono Friends. Já Tomohiro Ooshima, nascido em 13 de maio de 1985, é mais conhecido pelo pseudônimo Tom-H@ck e por seu trabalho no grupo MYTH&ROID. Nesta banda, lançou sucessos como “Styx Helix” e “Paradisus-Paradoxum”, temas da primeira temporada de Re:Zero.

O OxT se destaca com duas aberturas de Diamond no Ace (“Go EXCEED!!” e “Perfect HERO”) e as duas primeiras aberturas de Overlord (“Clattanoia” e “Go Cry Go”), assim como o terceiro encerramento do anime (“Silent Solitude”). No entanto, ainda demorou um pouco para a banda ser formada: seus primeiros lançamentos saíram como “Tom Hack featuring Masayoshi Ooishi”. Foi só em 2015, após dois anos de parceria, que a dupla adotou o nome oficialmente.

bannerPorno Graffitti

Porno Graffitti

Outro grupo veterano, a Porno Graffitti certamente já chama a atenção de imediato por causa do nome peculiar. O que cativa o ouvinte, no entanto, são as ótimas canções, mesclando pop e rock. A ideia da banda surgiu em 1994, quando o vocalista Akihito Okano e o guitarrista Shindo Haruichi estavam no ensino médio. O que começou quase como uma brincadeira, já que nenhum dos membros da época sabiam ao menos ler partituras, acabou se transformando num dos grandes atos do rock japonês.

Quando o assunto é anime, não faltam sucessos: podemos citar “Melissa” (primeira abertura de Fullmetal Alchemist (2003)), “The Day” (primeira abertura de Boku no Hero Academia), “Matataku Hoshi no Shita de” (segunda abertura da primeira temporada de Magi), “Hitori no Yoru” (segunda abertura de Great Teacher Onizuka) e “Anima Rossa” (décima primeira abertura de Bleach). Tenho certeza de que você já deve ter ouvido pelo menos uma dessas!

bannerRADWIMPS

RADWIMPS

Os membros do RADWIMPS começaram sua carreira bem cedo: a banda foi formada em 2001, quando estavam no primeiro ano do ensino médio. Após vários festivais de música e lançamentos independentes, sua estreia por uma gravadora foi no final de 2005. Atualmente, o grupo é composto por Yojiro Noda (vocalista e guitarrista), Akira Kuwahara (guitarrista), Yusuke Takeda (baixista) e Satoshi Yamaguchi (baterista). Noda também é o compositor e letrista da banda, enquanto os outros três membros colaboram com backing vocals.

Entre os fãs de anime, são lembrados por estarem por trás (de pelo menos parte) do sucesso de dois grandes filmes do diretor Makoto Shinkai: Kimi no Na wa. e Tenki no Ko. Eles não só cantam as aberturas e encerramentos dos filmes como as insert songs também. Apesar das músicas desses filmes seguirem um estilo mais consistente, a banda costuma explorar diversos gêneros em suas canções, usando elementos do punk, jazz, funk, rap e até emo, sempre misturados com o rock.

bannerROOKiEZ is PUNK'D

ROOKiEZ is PUNK’D

Apesar da sua estreia oficial ter ocorrido em 2010, a ROOKiEZ is PUNK’D foi formada em 2006, quando os integrantes originais ainda estavam no ensino médio. Com o passar do tempo, membros entraram e saíram, mas a sonoridade punk-rock da banda sempre se manteve constante. O line-up mais recente conta com SHiNNOSUKE (vocal e guitarra), RYOTA (baixista) e U (baterista). Vale mencionar que a banda já esteve em solo nacional em 2018, fazendo uma apresentação em São Paulo. Infelizmente, não sabemos quando os fãs brasileiros terão outra chance de prestigiar o grupo ao vivo, já que entraram em “hiato indefinido” em maio de 2019.

Embora a primeira onda de sucesso da ROOKiEZ is PUNK’D tenha surgido com a franquia de Durarara!!, na qual eles foram responsáveis pelo segundo tema de abertura, “Complication”, eu diria que o auge da popularidade deles veio no ano seguinte, com a segunda abertura de Ao no Exorcist, “IN MY WORLD”. A banda também teve uma participação recorrente em Yowamushi Pedal, onde contribuiu com dois temas de abertura e um encerramento: “Reclimb”, “Remind” e “Realize”, respectivamente.

bannerSID

SID

Apesar dos membros terem começado a tocar juntos em 2003, a banda SID considera que foi fundada em 2004, quando oficializaram o grupo de visual kei. O caminho de Mao (vocalista), Shinji (guitarra), Aki (baixo) e Yuya (baterista) até a fama foi bem rápido: em 2006, seus singles já entravam no Top 10 da Oricon e no mesmo ano realizaram um show no Nippon Budokan, famosa arena japonesa. Após firmarem contrato com a Sony Records, começaram a lançar temas para animes.

A primeira colaboração foi com Kuroshitsuji, para o qual lançaram a abertura “Monochrome no Kiss” e, anos depois, “Enamel”, abertura da terceira temporada. Também contribuíram com Fullmetal Alchemist: Brotherhood (“Uso”, ED 1; “Rain”, OP 5), Bleach (“Ranbu no Melody”, OP 13) e Magi (“VIP”, S1, OP 1; “Anniversary”, S2, OP 1). Só hino atrás de hino!

bannerSPYAIR

SPYAIR

Combinando estilos do rock com pop e eletrônico, a banda SPYAIR foi formada em 2005. No entanto, levou um tempinho para serem reconhecidos: foi só cinco anos depois, em 2010, que o grupo conseguiu um contrato com a gravadora Sony Music. A partir daí, Ike (vocalista), UZ (guitarrista e programador), Momiken (baixista) e Kenta (baterista) começaram a lançar um sucesso após o outro, vários deles relacionados a animes. Esses hits trouxeram eles ao Brasil em 2018, para apresentação única junto com o anteriormente mencionado ROOKiEZ is PUNK’D.

Talvez seja injusto eu falar que SPYAIR é “a banda de Haikyuu!!” quando eles contribuíram com várias outras franquias, mas eu simplesmente não consigo não associá-los às emoções do anime de vôlei. Além de duas aberturas icônicas (“Imagination” e “I’m A Believer”), eles também cantaram o encerramento da temporada mais recente, “One Day” (que pra mim deveria ter sido a OP, mas tudo bem). Outras colaborações famosas incluem as adaptações de Bleach, Gintama e Samurai Flamenco.

bannerSurvive Said The Prophet

Survive Said The Prophet

Embora tenham firmado o seu primeiro contrato com uma gravadora em 2016, a Survive Said The Prophet já vinha causando burburinho no cenário indie japonês desde 2011. Composta por Yosh Morita nos vocais, Ivan Kwong e Tatsuya Kato nas guitarras, Yudai Kato no baixo e Sho Okada na bateria, a banda tem visto um salto de popularidade desde 2018, quando contribuiu com a adaptação de BANANA FISH, cantando os temas “found & lost” (que inclusive foi uma das vencedoras do Newtype Anime Awards de 2019 na categoria de Melhor Música Tema) e “RED”. Eles também foram responsáveis pelo hit “MUKANJYO”, primeira abertura de Vinland Saga, e o vocalista Yosh frequentemente colabora com um dos principais compositores da indústria, Hiroyuki Sawano. É difícil dizer qual é o meu álbum preferido deles, mas o “FIXED” de 2016 talvez seja um bom começo!

bannerthe peggies

the peggies

Com origem em Kawasaki, Japão, a the peggies é uma banda de pop rock e rock alternativo composta apenas por mulheres: Yuuho Kitazawa nos vocais e na guitarra, Makiko Ishiwatari no baixo e Miku Onuki na bateria. Ativas desde 2011, elas já lançaram três álbuns de estúdio e quatro mini-álbuns/EPs.

Nos últimos anos, a banda tem fornecido vários temas para animes populares: “Dreamy Journey” (primeiro encerramento de Boruto: Naruto Next Generations), a grudenta “Kimi no sei” (abertura de Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai no Yume o Minai), a magnífica “Stand by me” (encerramento de Sarazanmai) e “Centimeter” (abertura e melhor parte de Kanojo, Okarishimasu).

bannerUNISON SQUARE GARDEN

UNISON SQUARE GARDEN

Composta por Kosuke Saito (vocalista e guitarrista), Tomoya Tabuchi (baixista) e Takao Suzuki (baterista), a UNISON SQUARE GARDEN se define como um grupo de “pop-rock”. Na época de sua formação, em 2004, suas músicas tinham um estilo mais próximo do eletropop. Com o passar do tempo, especialmente após sua estreia oficial em 2008, a banda foi experimentando com estilos e acabou rumando para o lado do rock.

Ainda assim, é possível ver esse toque de pop no maior sucesso deles: “Bitter Song to Sugar Step”, encerramento da primeira temporada de Kekkai Sensen. No entanto, eles estão muito longe de ser banda de uma música só. Alguns exemplos de temas conhecidos do grupo são “Orion wo Nazoru” (primeira abertura de Tiger & Bunny), “Catch up, latency” (primeira abertura de Kaze ga Tsuyoku Fuiteiru) e “Haru ga Kite Bokura” (segunda abertura da segunda temporada de 3-gatsu no Lion).

bannerUVERworld

UVERworld

Formada em 2002, a UVERworld pode ser definida como “bastante eclética”. Seu estilo musical transita por vários estilos do rock, não raramente misturados com outros gêneros. Suas influências vão de grupos dos anos 60 a artistas como Frank Sinatra, Queen e Green Day. Isso se reflete também na variedade de instrumentos usados em suas músicas: além do guitarrista Katsuya, do baixista Nobuto e do baterista Shintarou, também temos o saxofonista Seika e dois programadores musicais: o segundo guitarrista Akira e o vocalista e rapper Takuya∞.

Os temas mais famosos incluem duas das três aberturas de Ao no Exorcist, “CORE PRIDE” (OP1, S1) e “Itteki no Eikyou” (OP, S2); a segunda abertura de Bleach, “D-tecnolife”; a primeira abertura da terceira temporada de Boku no Hero Academia, “ODD FUTURE”; e a abertura da primeira temporada de Yakusoku no Neverland, “Touch Off”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s