Review | Okane ga Nai: quando o estupro é representado como ato de amor

Esse texto foi originalmente postado em 3 de fevereiro de 2018 [Este texto é uma contribuição da leitora Atenéia Araújo] Se você assistiu ao especial de quatro capítulos (OVA) do anime yaoi Okane ga Nai, é possível que tenha ficado curioso para ler o mangá, que ainda não foi finalizado. Porém, será bom que não o faça, pois … Continue lendo Review | Okane ga Nai: quando o estupro é representado como ato de amor

Review | Natsume Yuujinchou: uma caminhada em direção ao autoconhecimento e aceitação

Esse texto foi originalmente publicado em 3 de setembro de 2016. Uma das nossas maiores expectativas para o próximo mês é a quinta temporada de Natsume Yuujinchou, intitulada "Natsume Yuujinchou Go". Embora a série tenha feito bastante sucesso no Japão (o suficiente para conseguir tantas temporadas), dificilmente vejo pessoas comentarem sobre ela por aqui. Talvez … Continue lendo Review | Natsume Yuujinchou: uma caminhada em direção ao autoconhecimento e aceitação

Review | Ansatsu Kyoushitsu: a turma de assassinos que é o que parece, mas não exatamente

Esse texto foi originalmente postado em 30 de junho de 2016 A primeira vez que eu ouvi falar sobre o anime de Ansatsu Kyoushitsu (ou Assassination Classroom, em inglês) foi na época que a primeira temporada já tinha alguns episódios lançados. Várias pessoas haviam comentado sobre como o mangá era bom e o hype em torno do anime era relativamente … Continue lendo Review | Ansatsu Kyoushitsu: a turma de assassinos que é o que parece, mas não exatamente

Review | Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin: bandido bom é bandido morto?

Esse texto foi originalmente publicado em 5 de junho de 2016 Quem me recomendou Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin foi um dos autores do Rukh no Teikoku, o Shiki. Confesso que antes de ele ter me feito a recomendação, eu nunca havia ouvido falar sobre esse anime. Depois de terminar de assisti-lo, eu sinceramente não consegui entender o … Continue lendo Review | Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin: bandido bom é bandido morto?