Especial | Mês do Orgulho LGBT: 8 obras que você não pode deixar de conferir

Para quem não sabe, junho é o mês em que se celebra o Orgulho LGBT cujo marco histórico – a revolta de Stonewall – está completando 50 anos em 2019. É a principal época do ano em que a comunidade LGBT se faz ouvir em sua eterna luta por direitos e reconhecimento.

Para comemorar o aniversário de 50 anos de Stonewall, homenagear seus membros LGBTs e aproveitar o embalo do Dia dos Namorados, a equipe do Rukh no Teikoku resolveu elencar em ordem alfabética oito obras com personagens LGBTs que você não pode deixar de conferir.

Contudo, vale ressaltar que nem todos os animes da lista pertencem ao gênero BL ou GL, ainda que contem com personagens LGBTs relevantes, por isso preste bastante atenção na hora de escolher o que vai querer assistir.

Leituras complementares:

50 anos de Stonewall: saiba o que foi a revolta que deu origem ao dia do orgulho LGBT.

28 de junho – Dia do Orgulho LGBTI.

bannerasagao-to-kase-san-image

#1 Asagao to Kase-san. (2018)

Gêneros: Romance, Escolar, GL
Nº de Episódios: 1
Duração: 58 min.
Estúdio: Zexcs
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse: Yamada é a responsável por cuidar das plantas em sua escola. Ela não é nem um pouco atlética – na verdade é bastante desastrada. Entretanto, isso não a impede de ter sentimentos pela estrela de atletismo do colégio – Kase-san. Tímida, Yamada está relutante no que diz respeito aos seus sentimentos por Kase-san. Lentamente, a dupla passa a se ajudar, ganhando confiança em si mesmas e na relação que constroem juntas.

Comentário: Sem sombra de dúvidas essa é a minha obra preferida da lista. Embora não traga nada de inovador, tudo é construído com ricos detalhes e a relação entre as duas protagonistas é linda demais. O mangá vem sendo publicado desde 2010 no Japão e já teve seus primeiros volumes licenciados em inglês pela Seven Seas Entertainment. É uma pena que a obra não tenha recebido uma adaptação completa, mas o OVA de quase uma hora dirigido por Satou Takuya foi muito bem feito e com certeza vale a pena ser conferido.

bannerBanana-Fish-11_2

#2 Banana Fish (2018)

Gêneros: Ação, Aventura, Drama
Nº de Episódios: 24
Duração: 22 min.
Estúdio: MAPPA
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Crunchyroll): A natureza fez Ash Lynx ser bonito; o adestramento fez dele um assassino frio e cruel. Um fugitivo criado como o herdeiro e brinquedo sexual de “Papa” Dino Golzine, Ash, agora na idade rebelde de 17 anos, abandona o reino oferecido pelo diabo que o criou. Mas o horrível segredo que fez seu irmão enlouquecer no Vietnã caiu nas mãos insaciáveis e ambiciosas de Papa – exatamente a hora errada para Eiji Okamura, um jovem fotógrafo puro e de bom coração vindo do Japão, conhecer o também jovem Ash Lynx.

Comentário: Por se tratar de um mangá originalmente publicado nos anos 80, apesar das tentativas da diretora Utsumi Hiroko de adaptá-lo para os dias atuais, Banana Fish se mostra datado em alguns momentos. Eu inclusive tive uma briga séria com a forma que a obra associou a homossexualidade à pedofilia em seus primeiros episódios. Contudo, os defeitos de Banana Fish não apagam a enorme influência da obra e muito menos a belíssima relação construída entre Ash e Eiji. Para quem gosta de histórias sobre máfias e um bom drama, certamente vale a pena conferir.

bannerscreen-shot-2018-02-17-at-20-38-59

#3 Doukyuusei (2016)

Gêneros: Slice of Life, Romance, Escolar, BL
Nº de Episódios: 1
Duração: 1h
Estúdio: A-1 Pictures
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Blyme Yaoi): A história começa numa aula de música quando, durante o ensaio do coral para o festival escolar, Hikaru Kusakabe percebe que o estudante de honra da escola, Rihito Sajō, não está cantando. De início, ele pensa que o estudante simplesmente não gosta de cantar, até encontrar Rihito ensaiando numa sala vazia na escola. Sem pensar duas vezes, Kusakabe decide ajudar o colega a ensaiar o canto.

Comentário: Doukyuusei é provavelmente a melhor adaptação de BL que tivemos até o momento. É verdade que eu não tenho um conhecimento vasto sobre o gênero, mas considerando que as adaptações mais populares (como Junjou Romantica) são cheias de problemas, me surpreende que uma obra tão fofa e com um relacionamento saudável como Doukyuusei não seja tão comentada assim. Precisamos falar menos do que tem de ruim no gênero (e todo mundo sabe) e falar mais sobre as decisões acertadas de adaptações.

bannertumblr_n9abgoi3Nd1ti2gp0o1_1280

#4 Hourou Musuko (2011)

Gêneros: Drama, Romance, Escolar, Slice of Life
Nº de Episódios: 12
Duração: 23 min.
Estúdio: AIC Classic
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Crunchyroll): Nitori Shuichi é um garoto que se vê como menina. Ele muda para um novo colégio de ensino fundamental e lá conhece Takatsuki Yoshino, uma jovem alta e atraente que também sonha em ser do sexo oposto.

Comentário: Hourou Musuko foi vencedor na categoria de Best Animated Broadcast Release em 2012 no 65th Motion Picture and Television Engineering Society of Japan Awards. É honestamente um crime que essa obra seja tão desconhecida, pois foi a primeira vez que eu vi um anime tratar o tema da transexualidade de uma maneira tão natural e delicada. A adaptação é linda em todos os sentidos e conta com a direção de Aoki Ei, um dos meus diretores preferidos. Se você ainda não assistiu, faça um favor a si mesmo e não deixe de conferi-la.

bannermaxresdefault

#5 Konohana Kitan (2017)

Gêneros: Slice of Life, Fantasia, GL
Nº de Episódios: 12
Duração: 23 min.
Estúdio: Lerche
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Crunchyroll): Konohana Kitan é a emocionante história de Yuzu, uma aprendiz que trabalha com outras garotas-raposa num hotel de fontes termais chamado Konohatei. A equipe do Konohatei segue um único preceito: seja ele quem for e aconteça o que acontecer, todos os hóspedes são deuses. E é claro, isso inclui você. Deixe que a hospitalidade de Yuzu e do Konohatei curem a sua alma cansada.

Comentário: Konohana Kitan é mais um caso de cute girls doing cute things, porém dessa vez o Yuri é real. Eu não costumo ir atrás de obras de fantasia desse tipo, mas resolvi dar uma olhada por parecer um slice of life fofo e não me arrependi. Não é algo que eu recomendaria pra qualquer um, mas é bom o suficiente pra matar um tempo, dar umas risadas ou morrer por excesso de fofura.

bannerScreenshot_3-6

#6 Kuzu no Honkai (2017)

Gêneros: Drama, Romance, Escolar
Nº de Episódios: 12
Duração: 22 min.
Estúdio: Lerche
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Não é minha culpa que não sou popular): Mugi e Hanabi parecem ser o casal ideal. Eles são muito populares, bonitos e parecem se dar bem. No entanto, ninguém sabe do segredo que eles compartilham. Ambos têm paixões impossíveis, e só estão namorando para aliviar suas dores e solidão. Mugi está apaixonado por Akane, uma jovem professora que costumava ser sua tutora. Hanabi também está apaixonada por um professor, um jovem que tem sido um amigo da família desde que ela era pequena. Estando juntos, eles encontram um lugar onde podem lamentar por aqueles que não podem ter.

Comentário: Kuzu no Honkai é um enigma pra mim. Como pode um anime ser tão bom e tão ruim ao mesmo tempo? Fica aí o questionamento. A obra é polêmica, vive de erros e acertos, mas teve uma bela produção e levanta vários assuntos que devem ser discutidos (é mais por isso que eu resolvi inclui-lo na lista). Escrevi de forma extensa *com spoilers* sobre o anime nas minhas impressões finais da temporada de inverno de 2017, então se você estiver na dúvida se deve assistir ou não, talvez seja interessante dar uma olhada lá. Adianto, porém, que se você estiver procurando um romance bonitinho, é melhor passar longe daqui.

bannerno.6-anime

#7 No. 6 (2011)

Gêneros: Ação, Ficção Científica, Mistério, Drama
Nº de Episódios: 11
Duração: 23 min.
Estúdio: Bones
Material: Novel
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse (Não é minha culpa que não sou popular): No.6 é uma cidade utópica e moderna, onde todos os seus moradores tem um bom estilo de vida. Shion mora lá com sua mãe, por ter excelentes notas e por ganhar diversos prêmios, ele consegue morar na parte mais rica da cidade. Em seu aniversário de 12 anos, Shion é tomado pelo impulso e grita da janela de sua casa no meio de uma forte tempestade. Ao gritar, chama a atenção de Nezumi, um garoto que está fugindo. Aproveitando-se da janela aberta, Nezumi entra no seu quarto e Shion não o denuncia, apesar de logo descobrir que o garoto é um fugitivo “perigoso”. A partir desse momento, suas vidas mudam para sempre.

Comentário: Vou ser sincera e dizer que não me lembro de muita coisa sobre No. 6 porque faz vários anos que eu assisti, mas eu diria que é um caso parecido com Banana Fish no sentido de que o ponto fundamental da história é a relação construída entre os protagonistas, Nezumi e Shion, ainda que o romance nunca tenha sido o foco. Se ficção científica for a sua praia, acho que vale a pena dar uma conferida pelo menos nos primeiros episódios.

bannerYagate-Kimi-ni-Naru-9_6

#8 Yagate Kimi ni Naru (2018)

Gêneros: Romance, Escolar, GL
Nº de Episódios: 13
Duração: 24 min.
Estúdio: TROYCA
Material: Mangá
Site oficial: Clique aqui
PV: Clique aqui

Sinopse: Koito Yuu acaba de iniciar o seu primeiro ano como colegial, mas ainda não respondeu à declaração feita por um menino do qual ela sempre gostou, porém cujas palavras não a deixaram animada, durante a formatura do ensino fundamental. Yuu ama mangás shoujo e sabia o que ela deveria sentir ao receber uma declaração, mas isso não aconteceu e, mesmo depois de meses, ela ainda não sabe que resposta dar ao garoto. Yuu, então, vê Nanami Touko, a presidente do conselho estudantil, rejeitar uma declaração de modo a demonstrar bastante consideração. Mais tarde, ela descobre que Nanami nunca aceitou qualquer declaração porque nenhuma delas fez com que ela sentisse algo. Inspirada pela sinceridade de Nanami e a similaridade entre elas, Yuu decide pedir conselhos a ela, mas depois de ajudá-la… Nanami acaba se declarando para Yuu?!

Comentário: Eu cantei a adaptação de Yagate Kimi ni Naru muito antes de ela ter sido anunciada e eu não poderia ter ficado mais feliz com o resultado. Como eu disse outro dia, o que eu mais gosto da obra é que ela vira a narrativa de cabeça pra baixo – geralmente nós acompanhamos a perspectiva da protagonista apaixonada, mas não da pessoa que está apaixonada pela protagonista. Além disso, YagaKimi explora a complexidade desse sentimento que chamamos de amor, que cada um de nós sente e demonstra de uma maneira diferente. Antes de ser uma história sobre romance, YagaKimi é uma história sobre autoconhecimento.

Um comentário em “Especial | Mês do Orgulho LGBT: 8 obras que você não pode deixar de conferir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s